E SE O ÁRBITRO ESPREITAR AS IMAGENS?

Perguntam-me várias vezes porque é que os árbitros, em lances mais dúbios ou difíceis, não tomam – por si próprios – a iniciativa de pararem o jogo para confirmar a legalidade do lance nas imagens (disponíveis no terreno de jogo).

Da mesma forma, também ouço com frequência a pergunta:

“Porque não param os jogos, veem as imagens e depois decidem?”.

A resposta a estas duas questões é simples: porque não podem.
Porque o Protocolo do VAR (como sabem, estipulado pelo International Board) não o permite.

Um árbitro tem sempre que tomar uma decisão. Sempre.
Mesmo que essa seja a de não punir um determinada situação (por exemplo, não assinalar penálti).

Por isso, o árbitro não pode parar um jogo sem que exista uma avaliação do lance.

O Videoárbitro surge no futebol como um apoio, não como um salvador ou substituto do decisor.

Da mesma forma, um árbitro só pode recorrer às imagens ao nível do relvado por recomendação do VAR. Quando a decisão oferece dúvidas ao colega de cabine e este sugere que ele reveja a jogada para reavaliar a sua opinião.

Aí e apenas aí.
Fica o esclarecimento.

 

FOTO: Goal

Escreva a(s) palavra(s) que pretende pesquisar e pressione "enter"

X