OS JOGOS DO DRAGÃO E DA LUZ

Ontem, os jogos do Dragão e da Luz tiveram lances de análise muito complicados.

Quase todos foram descortinados nas imagens televisivas e depois de várias repetições. Ainda assim, com dúvidas e interrogações.

[expand title=”VER MAIS…” trigclass=”arrowright”]

Para ser fiel ao princípio de jogos anteriores e tendo em conta que estamos no arranque do Projeto Videoárbitro, deixo a minha opinião de alguns desses momentos.

É a minha opinião. Não é uma verdade absoluta nem tem que ser a vossa.
Por favor, tenham isso em conta.

Então vamos a isso:

FC Porto / Estoril

⁃ Penalti por assinalar de Moreira sobre Marcano. O lance foi casual e sem intenção, mas neste caso a lei não obriga a que seja deliberado. Basta que seja imprudente ou negligente, por exemplo. O braço do GR do Estoril não acertou na bola mas sim na cara do defesa do Porto. Lance que o VA podia ter ajudado, visto que em campo era quase impossível de detetar mas na TV foi evidente.

⁃ Golos muito bem anulados ao Porto (dois por fora de jogo e outro por carga de Danilo sobre Kléber).

⁃ Golo de Marega precedido de um lance de dúvida na área azul e branca: na minha opinião, a mão de Danilo foi apenas instintiva e reativa, não deliberada, propositada. A bola veio da cabeça de um seu colega, que estava muito próximo dele. Legal.

⁃ Excelente intervenção do VA a retificar a decisão inicial do assistente: Marcano estava mesmo em jogo e o golo acabou por ser bem validado.

 

Benfica / Braga

⁃ Eliseu viu bem o amarelo por “tesoura” negligente a Jefferson mas podia ser sido antes advertido por entrada mais dura sobre Rui Fonte.

⁃ Jardel foi agarrado na área do Braga por Vukcevic, após pontapé de canto. Apesar do central encarnado forçar o contato inicialmente (para ganhar posição), pareceu claro nas imagens que a falta do defesa do Braga foi continuada e impeditiva.

⁃ Golo bem anulado a Hassan por fora de jogo (evidente nas imagens).

⁃ Rafa Silva, ao tentar cortar a bola, acertou involuntariamente na mão esquerda de André Almeida. O pontapé, mesmo que sem intenção, existiu e foi fora da área. Lance de análise muito difícil em campo mas que as imagens indiciam que devia ter sido penalizado.

⁃ Fora de jogo tirado a R. Horta no golo do Braga: lance cheio de dúvidas e interrogações. A linha de apoio (para fora de jogo) nao existia, o que dificulta e muito a “opinião televisiva”. No entanto, fica a sensação que Seferovic, colocado no lado oposto e a recuperar posição, estava nesse momento a por em linha o jogador do Braga.

 

Dois jogos muito difíceis de dirigir, com situações que só a tv (e nem isso) ajudaram a esclarecer.

A prova que, com o Big Brother, o futebol vai elevar a discussão a outro nível, às vezes bem injusto para quem em campo só tem dois olhos.

 

Pode consultar análise completa no jornal A Bola ou em www.abola.pt


[/expand]

Escreva a(s) palavra(s) que pretende pesquisar e pressione "enter"

X