A MÃO QUE EVITA O GOLO

Imaginem duas situações parecidas e pensem (antes de ver a resposta abaixo) se haverá alguma diferença entre ambas, em termos disciplinares:

  1.  Defesa, colocado sobre a sua linha de baliza, corta com a mão e de forma deliberada, um golo. Devido a isso, a bola não entra na sua baliza. O árbitro assinala e bem o respetivo pontapé de penálti.
  2.  Defesa, colocado sobre a sua linha de baliza, corta com a mão e de forma deliberada, um golo. Antes que o árbitro tivesse tempo para assinalar o respetivo pontapé de penálti (ou seja, imediatamente a seguir), um avançado reagiu rápido, fez a recarga e marcou golo. Nesse caso, o árbitro, bem, acabou por validá-lo.

A pergunta:

⁃ Será que nestas duas situações, o defesa que inicialmente evitou, com a mão, um golo… é sempre expulso?


Resposta:

Não. Na primeira a expulsão é tão clara quanto inevitável. Cartão vermelho e pontapé de penálti.

Na segunda, o defesa acabou por ser “bafejado” pela sorte.

Uma vez que o árbitro não teve tempo para assinalar o penálti antes da recarga oportuna, o golo mantém-se.

Neste caso, a intenção inicial do defesa, (apesar da tentativa frustrada), não impediu que a jogada terminasse mesmo em golo.

Por esse motivo, é apenas advertido (cartão amarelo).

Mais um esclarecimento.

Escreva a(s) palavra(s) que pretende pesquisar e pressione "enter"

X