DICA DOS 2

“Dica dos 2”

Inicio hoje esta rubrica semanal no kickoff.pt, em parceria com a Tribuna do Expresso.
As noticias sobre o futebol dominam a atualidade. Todos os dias, a toda a hora.

Infelizmente, grande parte delas tende a centrar-se cada vez menos no que se passa dentro das quatro linhas e cada vez mais… no acontece fora delas.

O “Dica dos 2” quer contrariar esse tendência.

O que se pretende aqui é recuperar a importância do que acontece no jogo jogado, através do esclarecimento de situações de jogo, regras ou lances que, por um ou outro motivo, assumam relevo especial, em dado momento.

Na semana de estreia – estaremos de volta todas as 5as Feiras – escolhemos duas questões que, já esta época, levantaram algumas dúvidas.

Vamos a isso então:

1 – Se, numa determinada jogada, existirem simultaneamente duas situações de dúvida (um jogador estar em posição de fora de jogo e ocorrer uma infração passível de pontapé de penálti), qual das duas deve ser punida?

Resposta – Depende. Será punido o fora de jogo se o atacante tomar parte ativa na jogada antes de haver a infração do defesa (ou seja, se aquele jogar a bola ou interferir na ação de um adversário).

Se, por outro lado, a falta do defesa ocorrer antes disso, é essa que deve ser punida.

Exemplifiquemos:

Hipótese A – Um jogador em fora de jogo salta à bola com um defesa, tentando joga-la e só depois sofre falta para penálti.

Decisão – Assinalar o fora de jogo.

Hipótese B – A bola é passada para um avançado que está em posição de fora de jogo, na área do adversário. Antes que ele toque ou tente tocar/jogar a bola (e não estando a interferir com qualquer defensor contrário), é carregado em falta por um jogador da equipa contrária.

Decisão – Assinalar pontapé de penálti.

A lógica é a cronologia do lance. Punir tecnicamente o que acontece primeiro.

2 – Nas chamadas “faltas continuadas/persistentes” (aquelas em que a infração de um jogador sobre outro prolonga-se), a regra é clara:

– São tecnicamente punidas no início da ação, ou seja, onde começam.

As leis de jogo só preveem uma exceção (e apenas uma), por sinal, bem importante:

– Os agarrões que comecem fora da e terminem dentro da área, são sempre punidos onde termina a ação. Vejamos:

Hipótese A – Defesa começa a empurrar adversário ainda fora da sua área e só pára de o fazer dentro.

Decisão – Pontapé livre direto no local onde iniciou a sua ação. Aplica-se aqui a regra geral, porque a exceção à lei é apenas para o ato de “agarrar” (e quando a infração continuada ocorre de “fora para dentro da área”).

Hipótese B – Defesa, ainda fora da sua área, começa a agarrar o avançado pela camisola e só o larga dois metros depois, já no interior.

Decisão – Pontapé de penálti (aplica-se aqui a exceção).

Hipótese C – Um defesa, dentro da sua área de penálti, agarra um atacante que está a sair dela e só o larga fora.

Decisão – Pontapé de penálti.

Esta era para ver se estavam atentos: é que, apesar de ser um agarrão, ele não aconteceu de “fora para dentro da área”, mas sim no sentido oposto, ou seja, de dentro para fora. Assim sendo, aplica-se, de novo, o princípio geral. Pune-se onde começou, que no caso foi dentro da área.

Nem tudo é tão fácil como parece, mas a única forma de compreender… é saber. E o saber não ocupa espaço, pois não?

Voltamos para a semana com mais esclarecimentos.

Escreva a(s) palavra(s) que pretende pesquisar e pressione "enter"

X